Irmãs de São José
  • A+
  • a-

Congregação das Irmãs de São José

Missão:
A Congregação surgiu do grande amor apostólico do seu Fundador, Padre Sigismundo Gorazdowski (1845- 1920).
Fiel aos seus ideais empreende trabalhos entre pessoas que em razão de pobreza, deficiências físicas, idade ou outras circunstâncias da vida esperam ajuda material e religioso – moral.

O objetivo da Congregação é a entrega total das suas irmãs ao serviço de Deus e a busca do amor perfeito, por uma vida de votos religiosos e pelo cumprimento, em nome da Igreja, das obras da caridade cristã.

Carisma:

O nosso Carisma é o dom do Espírito Santo que torna nos capazes de viver as palavras de Jesus Cristo: 

"Amai-vos uns aos outros, como Eu vos tenho amado. Nisto todos conhecerão que sois meus discípulos, se vos amardes uns aos outros" (Jo13,34b-35)

Este Carisma se manifesta em atos concretos de misericórdia, em favor dos pobres de Cristo, por amor a Deus.

Espiritualidade:

As Irmãs fazem a entrega de si a Deus, tendo como exempo Maria Imaculada, Mãe e Senhora que é ao mesmo tempo a Mestra e o modelo perfeito de santidade. O principal padroeiro da Congregação, São José, é modelo de fé, de serviço e o ideal da consagração vivenciada.  Exemplo de amor seráfico que assemelha a Cristo crucificado, animado pela contemplação dos mistérios da Encarnação, da Cruz, da Eucaristia e padroeiro da Congregação é igualmente São Francisco de Assis.

Os padroeiros das obras de misericórdia são: O nosso fundador S. Sigismundo Gorazdowski e santa Isabel da Hungria.

Apostolado:

 O nosso apostolado consiste no testemunho da nossa vida consagrada.

As principais obras que a Congregação empreende são:

  • Serviço samaritano aos pobres, idosos, solitários;
  • Cuidado dos doentes em institutos, Hospitais e casas particulares;
  • Cuidado das crianças e da juventude;
  • Trabalho paroquial, missionário e ecumênico;

Delegação no Brasil:

A idéia da abertura da nova comunidade no Brasil se deu por ocasião do centenário da Congregação, em agradecimento a Deus pelas maravilhas realizadas durante os 100 anos da fundação na Polônia.

Em 18 de dezembro de 1983 chegaram ao Brasil as nossas primeiras 4 irmãs. Hoje a nossa Família Religiosa conta com cinco comunidades em:

Curitiba/PR - 1 comunidade,

Rio de Janeiro/RJ -1 comunidade

Monção/MA – 1 comunidade

São Luiz/­MA - 2 comunidades

A formação religiosa, tem por objetivo moldar a pessoa humana para a vida religiosa segundo os conselhos evangélicos. Dá oportunidade para conhecer a dimensão do estilo de vida e obras da Congregação. È o   tempo de experiência de Deus, na convivência fraterna e preparo para a Consagração religiosa.

Etapas de Formação:

1º Postulado - Dá oportunidade para conhecer o estilo de vida e obras da Congregação.

2º Noviciado - Tempo de experiência de Deus,  na convivência fraterna e preparo para a Consagração Religiosa.

3º Juniorado - Espaço privilegiado  para aprofundar  os valores da vida Consagrada na alegria da Missão.

4º votos perpétuos - Através da profissão perpétua as Irmãs entregam se a  Deus para toda a vida, e recebem como sinal exterior, uma aliança com o nome de “Jesus” gravado nela.

Fundador da Confregação:

São Sigismundo Gorazdowski (1845-1920)  Único desejo dele foi: “Ser tudo para todos, para salvar pelo menos um”.  Trabalhou incansavelmente como cura das almas, catequista, autor de catecismos e sobretudo, como grande apóstolo da caridade, chamado “Padre dos Mendigos” e “Pai dos Pobres”. Fundou diversas instituições de caridade. Para assegurar a continuidade das obras, fundou em 1884, na cidade de Lvov a Congregação das Irmãs de São José.

Ou mais comprida:    Nasceu em Sanok (Polônia),  1 de de novembro de 1845, numa família, onde se valorizava e respeitava muito os princípios da religião católica. De saúde frágil desde a infância, desejou ajudar aos outros doentes e por isso, após concluir o ensino de segundo grau, entrou na faculdade de direito da Universidade de Lwow. Já estudante de segundo ano, descobriu a vocação para o sacerdócio, interrompendo o curso de direito, entrou para o Seminário Maior em Lwow.

Lá experimentou uma prova de fé: a doença evoluiu a tal ponto, agravando o seu estado de saúde com risco de vida e, por isso, foi suspensa a sua ordenação sacerdotal. Os seus amigos, vendo esse drama pessoal, escreveram em suas memórias: «A não admissão à ordenação sacerdotal foi para Sigismundo um golpe muito doloroso, sofreu moral e fisicamente, mas não perdeu a confiança no Senhor Deus». Dois anos depois, o seu estado de saúde melhorou   tanto que   que pôde receber o Sacramento da Ordem na Catedral de Lwow, no dia 25 de julho de 1871.

Já nas primeiras paróquias que ocupou deixou que fosse reconhecido nele um carisma excepcional de unir o trabalho sacerdotal com o trabalho caritativo. Descobrindo a grande pobreza espiritual de seus fiéis e várias dificuldades no anúncio da mensagem evangélica, elaborou e editou « Catecismo », que teve a tiragem de mais de cinqüenta mil exemplares. Para os jovens de ambos os sexos também preparou e editou « Conselhos e Admoestações ». Valorizando muito os dons dos santos Sacramentos, especialmente o da Eucaristia, iniciou na arquidiocese de Lwow a prática da Primeira Comunhão comunitária para as crianças. Foi também o grande propagador de lembranças da primeira comunhão e do sacramento da crisma. Padre Sigismundo, a exemplo de Cristo, esforçou-se para nunca excluir ninguém de sua ação caritativa, especialmente os marginalizados pela sociedade. Como por exemplo, durante a grande epidemia de cólera, esquecendo-se de si mesmo, corria com o seu serviço sacerdotal e ajuda material, colocando com suas próprias mãos as vítimas fatais nas urnas funerárias. Até os judeus, com admiração, beijavam sua roupa, vendo nele um homem santo. 

Em 1877, o Padre Sigismundo iniciou as suas atividades sacerdotais e beneficentes em Lwow.

Como vigário, administrador paroquial e depois pároco, assumiu o trabalho de catequista em várias escolas. Continuou engajado no seu trabalho de editor e redator. Conseguiu mais tiragens de seu « Catecismo », preparou e editou « Princípios e Normas de Boa Educação » para os pais e educadores. Publicou também muitos artigos, principalmente pastorais, sociais e pedagógicos. Criou a « Sociedade Bom Pastor » para auxiliar os sacerdotes e uma revista com o mesmo título.

Durante o seu mandato de secretário do Instituto dos Cristãos Pobres em Lwow, fundou a Casa de Trabalho Benévolo para os mendigos sem lar, onde se encontravam também as crianças. Como consta nos Relatórios dessa Casa, « muitos pobres... abandonaram a mendicância e, recuperando a sua dignidade, voltaram à vida decente ». Da iniciativa do Padre Sigismundo, conhecido cada vez mais como « Padre dos Mendigos » e « Pai dos Pobres », começou a funcionar em Lwow a « Cozinha Popular », servindo refeições a baixo custo aos trabalhadores, estudantes, crianças e aos pobres da cidade. 

O abrigo para Incuráveis e Convalescentes foi uma obra de misericórdia cristã em resposta às necessidades de pessoas sofredoras e doentes, vítimas de uma lei do governo, que obrigava os enfermos a abandonarem o hospital após seis semanas de internação, independentemente do estado de saúde. Escreveram na época do padre Gorazdowski : « Quando ninguém soube acolher os infelizes e doentes desenganados... ele pensou em construir um Abrigo aos infelizes ».

Padre Sigismundo fundou também, para os pobres estudantes de escola pedagógica, « Internato de São Josafá » que foi responsável pela formação de vários ilustres da época.  Não se pode esquecer do « Instituto Menino Jesus » para as mães solteiras e as crianças abandonadas, onde foram salvas cerca de 3.000 crianças e inúmeras mães.

Padre Sigismundo atuou ainda na Sociedade de Santa Salomé, auxiliando as viúvas pobres com seus filhos e também na Sociedade das costureiras pobres. Foi co-fundador da Associação das Sociedades Beneficentes na Galícia que coordenava e dirigia todas as obras cristãs de misericórdia. Para proteger as crianças católicas da indiferença e do ateísmo, fundou a Escola Católica polono-alemã e confiou a sua direção aos Irmãos das escolas cristãs. Respondendo ao apelo do Santo Padre para editar e propagar jornais e revistas a baixo custo para o povo, iniciou a publicação do Jornal Diário. A fundação da escola e publicação do jornal enfrentaram grande oposição dos inimigos da Igreja, o que proporcionou muitas aflições, sofrimentos, incompreensões e humilhações ao padre Sigismundo, praticamente até a sua morte. 

Para dirigir a maioria de suas obras beneficentes, padre Sigismundo engajou as terciárias franciscanas, preocupando-se com a sua formação adequada e aprovação eclesiástica como Congregação das Irmãs de São José (irmãs Josefitas).

Sigismundo Gorazdowski morreu no dia 1° de janeiro de 1920 em Lwow. Na época, se dizia que ele era « o olho do cego, a perna do coxo e o pai dos pobres ».

Seu processo de beatificação foi iniciado em 1989. No dia 26 de junho de 2001 o Santo Padre João Paulo II beatificou esse Apóstolo da Misericórdia Divina, cuja memória é celebrada no dia 26 de junho. Canonizado em Roma, no dia 23 de Outubro de 2005, pelo Papa Bento XVI.

Endereços das nossas casas no Brasil:

Irmãs de São Jose:

Rua Prof. Orlando Alves Chaves, 193
CEP: 81320-250 Curitiba, PR
swmario@brturbo.com.br
Fone: (41) 3329 - 4198


Rua Apapóris, 488 - Praia da Bandeira
Ilha do Governador
CEP: 21921-560
Rio de Janeiro, RJ
cssjrio@yahoo.com.br
Fone: (21) 3396-0244


Praça Nelson Carvalho, 277 - Centro
Monção - MA
CEP: 65360-000
cssjmoncao@yahoo.com.br
Fone: (98) 3664 - 4376

Rua Vitória, Casa 5, Quadra 130, Bloco A
Cidade Olímpica
CEP: 65058-320
São Luís, MA
cssjolimpica@yahoo.com.br
Fone: (98) 3234 - 3102

Rua Frei Hermenegildo, 47 A
Aurora
CEP: 65060 - 190
São Luís - MA
postuladosaoluis@yahoo.com.br
Fone: (98) 3244 - 0230

Fonte: Diocese de Viana
Postado por: Diácono Ferdnando Costa


Compartilhe